Faculdade de arquitetura: saiba mais sobre o curso

Planejar, organizar, projetar. Essas são algumas das funções de um arquiteto. Mas o trabalho não acaba aí. Com o crescimento das cidades, esse profissional tem sido cada vez mais requisitado para criar habitações que contemplem funcionalidade, beleza e conforto em espaços cada vez menores.

O arquiteto é um daqueles profissionais que precisa estar com um olho no concreto (literalmente) e outro no abstrato. Ciências Humanas e Ciências Exatas caminham juntas ao longo do curso. E por esse motivo, o futuro arquiteto deve prezar pela versatilidade, criatividade e originalidade de seus projetos, visto que muitas construções acabam se transformando em verdadeiras obras de arte.

Confira abaixo um guia que elaboramos para tirar suas dúvidas em relação ao curso e ao mercado de trabalho de arquitetura. Vamos lá: 

O que se estuda na faculdade de arquitetura

A ideia do curso de arquitetura é capacitar o profissional para projetar espaços que levem em consideração a funcionalidade do local, a iluminação, a harmonia, o conforto e a sustentabilidade. Para desenvolver tais habilidades o aluno é preparado tanto na área das ciências exatas quanto das ciências humanas.

E se você é um daqueles que acredita ser necessário saber desenhar para cursar arquitetura saiba que está enganado. Ao longo do curso o aluno conta com disciplinas especificas para treiná-lo nessa habilidade. Mesmo porque um arquiteto não utiliza apenas as mãos para desenhar, hoje em dia muitos programas de computador servem a esse propósito. E a faculdade ensina todos eles, não se preocupe.

E para tirar a obra do papel, o estudante de arquitetura recebe aulas de edificações, estrutura das fundações, instalações elétricas e hidráulicas, topografia e estudos de materiais, por exemplo. As disciplinas de conforto térmico, acústico e de iluminação, dão ao aluno a base teórica para o conforto da construção. O aluno ainda conta com aulas de Geometria, Paisagismo, Projeto Arquitetônico, Patrimônios Históricos, Planejamento Urbano, Sustentabilidade e Eficiência Energética.

Após cinco anos de estudos o aluno obtém o diploma de graduação. Para conclusão do curso, as faculdades exigem estágio supervisionado na área e a elaboração de um Trabalho de Conclusão de Curso.

Perfil do profissional de arquitetura

O perfil do profissional de arquitetura é uma mistura entre artista e engenheiro. O bom profissional contempla esses dois lados da profissão. Como artista, ele deve estar atento as características de estilo do seu projeto e aos movimentos artísticos – do passado, presente e as tendências para o futuro.

Basta dar uma volta em uma cidade histórica para perceber que as construções ditas “barrocas”, “góticas”, “clássicas” ou “modernas” estão alinhadas com o mesmo conceito que esses estilos imprimem na música, na dança e nas artes plásticas. A arquitetura é uma forma de arte. E o arquiteto tem a possibilidade de transformar seus projetos em monumentos.

Em contrapartida, a grandiosidade estética de uma obra está intimamente ligada a qualidade do projeto de engenharia. O profissional deve estar atento a questões importantes como estrutura, qualidade e procedência dos materiais e mão de obra adequada para que a obra saia exatamente como planejada.

veja também:
Faculdade de direito: saiba mais sobre o curso

Unindo essas duas características principais, o arquiteto terá condições de oferecer aquilo que seu cliente deseja.

Dicas para quem vai cursar arquitetura

Você já se decidiu pelo curso de arquitetura? Parabéns! Mas antes de iniciar o curso veja algumas dicas que preparamos para você se dar bem nos estudos e na carreira:

1. Criatividade e inovação

O arquiteto precisa ser uma caixinha de ideias. Propor soluções, criar projetos com visão de futuro e buscar sempre por alternativas eficientes que reduzam os custos e os impactos ambientais. Essa característica criativa e inovadora faz a diferença entre um profissional comum e um profissional de destaque. Exercite sua criatividade e não tenha medo de ousar, especialmente no período do curso onde as experimentações são sempre bem vindas.

2. Atualização constante

Ter um diploma nas mãos é só o primeiro passo. Nesta área, as coisas mudam e acontecem muito rapidamente. Novas tecnologias, softwares, tendências de mercado. O profissional precisa estar sempre alinhado com tudo isso. Então, arregace as mangas e busque por especializações, pós-graduações e leituras periódicas de publicações na área. Mantenha-se atualizado.

3. Sustentabilidade

A palavra chave do momento é sustentabilidade. Na arquitetura não seria diferente. Buscar alternativas que reduzam os impactos ambientais e priorizem técnicas mais naturais de construção e materiais menos agressivos são algumas das vertentes dos projetos sustentáveis.

4. Arte e Cultura

Catedral

Foto: Freepik

Se nas veias de um arquiteto corre sangue de artista então é natural que ele esteja em locais que favoreçam seu contato com a arte. Museus, teatros, cinemas, livrarias. Tudo isso é fonte de inspiração para um arquiteto. Viajar também está na lista, especialmente para conhecer cidades e patrimônios históricos.

5. Afinidades

A mistura de humanas e exatas faz com que o estudante de arquitetura tenha dúvidas se esse é o caminho certo a seguir. Você não precisa ter afinidade com cálculos para ser um bom arquiteto nem saber desenhar perfeitamente para fazer um ótimo projeto. O que você precisa é de dedicação e empenho. Com isso, você conseguirá absorver todo o conteúdo necessário para desempenhar sua profissão com maestria.

6. Escolha do curso

É importante que você avalie rigorosamente as instituições que oferecem o curso de arquitetura. São muitas faculdades e você precisa escolher entre aquela que ofereça um bom corpo docente, uma boa infra estrutura e uma grade curricular completa. A questão do custo beneficio é importante, mas não se limite a escolha da faculdade com base no valor da mensalidade. Busque por informações.

Mercado de trabalho para quem faz arquitetura

A profissão de arquiteto é regulamentada no Brasil desde 1966. A legislação diz que para atuar como arquiteto é necessário que o profissional tenha um diploma de curso superior em Arquitetura em instituição reconhecida pelo MEC (Ministério da Educação), além de um registro junto ao CREA (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia).

veja também:
Os 9 melhores cursos que pagam os maiores salários

O arquiteto pode trabalhar de forma autônoma montando um escritório próprio ou buscando por oportunidades no setor público e privado. Há vagas para arquitetos nas Prefeituras, Instituições de Ensino e Pesquisa, Construtoras e Escritórios de Paisagismo, Design de Interiores e Arquitetura.

Os grandes centros concentram a maior demanda para os profissionais de arquitetura. Mas é possível atender clientes remotamente, deslocando-se para o local em ocasiões especificas.

Além de atuar como arquiteto, propriamente falando, o curso te apresentará um leque de outros cargos e funções que você poderá desempenhar tendo um diploma de arquitetura. Você poderá atuar com edificações, urbanismo e construção, consultoria, cenografia, luminotécnica, conservação de patrimônio histórico, design gráfico, decoração e paisagismo, dentre outras. Dependendo da afinidade que você tiver com cada uma dessas áreas.

Mas não precisa se preocupar com isso agora. No decorrer do curso você irá perceber naturalmente as áreas que tem mais afinidade. Ao final, você estará pronto para ocupar a função que melhor se encaixa no seu perfil.

O arquiteto que pretende se manter ativo no mercado de trabalho precisa se manter atualizado. Muito estudo, muita leitura e muita atenção nas tendências de mercado especialmente nas áreas ligadas ao urbanismo, construção, paisagismo, decoração e design.

A sustentabilidade é requisito indispensável para o arquiteto. As empresas buscam por profissionais que tenham essa preocupação ao desenvolver seus projetos. Um arquiteto que consiga alinhar um projeto funcional, estético e com consciência ambiental ganha destaque.

Muitos arquitetos também estão buscando oportunidades de trabalho em ONGs (Organizações Não Governamentais). Nesses locais, o profissional tem a oportunidade de desenvolver projetos de cunho coletivo, que valorizem a comunidade local e sua forma de vida.

O mercado de trabalho para o arquiteto é amplo e com muitas possibilidades. Sair da faculdade e abrir imediatamente um escritório próprio pode privá-lo de vivenciar o mercado sob outra perspectiva. O estudante de arquitetura deve farejar as melhores oportunidades e se manter aberto para as que surgirem. Há muito o que fazer e aprender mesmo depois de concluir o curso.

Saiba também o que faz um arquiteto e suas atribuições.