Faculdade de economia: saiba mais sobre o curso

Antes de optar por um curso de graduação, é importante que o aluno procure absorver o maior número de informações relacionadas ao curso. Para quem pretende fazer uma faculdade de economia, reunimos em nosso artigo alguns pontos relevantes para sanar algumas dúvidas sobre a profissão de economista.

Como conhecedor do cenário econômico, político e social, esse profissional terá um mercado amplo e várias áreas onde poderá atuar. O curso é bastante concorrido, mas é necessário analisar a faculdade antes de escolher. Acompanhe as informações mais importantes para você que pretende ser um profundo conhecedor dos números que envolvem a economia mundial.

O que se estuda na faculdade de economia?

A faculdade de economia tem como objetivo estudar a forma como a sociedade produz, distribui e consome bens, materiais e serviços. Na graduação, as disciplinas estão divididas entre ciências exatas, humanas e políticas.

Ao estudar essas matérias, o aluno terá a capacidade de interpretar as diferentes formas do pensamento econômico e a sua evolução no país e no mundo. Já no início do curso, disciplinas como história da economia e teorias econômicas fazem parte da sua grade curricular.

Além disso, o aluno estuda conceitos de contabilidade, matemática, cálculo e administração financeira por todo o período do curso. As disciplinas teóricas são extremamente importantes para que você possa entender todo o universo que envolve a economia do Brasil e do mundo.

Partindo para as disciplinas práticas, você vai estudar econometria e estatística para aplicar os métodos quantitativos de análise, além de começar a estudar a economia aplicada. Dependendo da instituição de ensino, alguns nomes de matérias podem sofrer alterações, mas a essência será a mesma. Confira as principais disciplinas que você vai estudar no curso de Economia.

  • Administração de Materiais e Logística;
  • Administração Financeira e Orçamentária;
  • Cálculo Diferencial e Integral;
  • Contabilidade Comercial;
  • Contabilidade Geral;
  • Contabilidade Social;
  • Desenvolvimento Econômico;
  • Direito Empresarial e Tributário;
  • Direitos Humanos;
  • Econometria;
  • Economia Brasileira Contemporânea;
  • Economia do Setor Público;
  • Economia Industrial;
  • Economia Internacional;
  • Economia Monetária e Mercados Financeiros;
  • Economia Política;
  • Economia Rural;
  • Estatística Econômica;
  • Estrutura e Análise das Demonstrações Financeiras;
  • Filosofia e Ética Geral e Profissional;
  • Formação Econômica no Brasil;
  • História do Pensamento Econômico;
  • História Econômica Geral;
  • Macroeconomia e Contabilidade Geral;
  • Matemática Aplicada;
  • Matemática Financeira;
  • Metodologia e Técnicas de Pesquisa em Economia;
  • Microeconomia;
  • Processos Administrativos;
  • Sociologia e Antropologia em Economia;
  • Técnicas de Negociação;
  • Teoria da Contabilidade;
  • Teorias da Administração.

Algumas universidades/faculdades exigem o estágio supervisionado na área. Além disso, é obrigatória a apresentação do trabalho de conclusão de curso. Somente após esse processo é que o aluno estará apto a trabalhar como economista.

Como é o curso da faculdade de economia?

O curso de Ciências Econômicas é ofertado na modalidade bacharelado com duração de quatro anos. Você pode optar por estudar presencialmente ou à distância. O curso é oferecido em várias instituições do Brasil.

Durante os quatro anos do curso, o aluno precisa se dedicar aos estudos e deve procurar se manter atualizado sobre os assuntos que envolvem política e economia. Entre os conhecimentos que precisam fazer parte da formação de um economista estão a macroeconomia e microeconomia, as economias do setor público, internacional e político.

Qual o perfil do profissional de economia?

Para ser um bom profissional na área, não basta apenas entender de cálculos, mas é extremamente necessário dominar a matemática para entender sobre taxas de juros, câmbio e inflação.

Ademais, é importante gostar de leitura, teoria e procurar estar sempre atualizado com as informações que envolvem economia e política. Dessa forma, o aluno terá mais facilidade para fazer leituras dos cenários econômicos da empresa em que for trabalhar, além de entender a situação do país e até do mundo.

veja também:
Bacharelado: saiba o que é e as diferenças entre licenciatura

Ao concluir o curso da faculdade de economia (Ciências Econômicas), algumas habilidades serão exigidas do profissional. Veja algumas delas:

  • Elaborar relatórios, estudos e análises;
  • Conduzir pesquisas;
  • Orientar investidores;
  • Criar produtos financeiros;
  • Saber prestar consultoria e assessoria financeira;
  • Entender sobre o cenário econômico para avaliar o patrimônio econômico-financeiro de empresas;
  • Realizar estudos de mercado, de viabilidade e de impacto econômico;
  • Elaborar estudos e cálculos atuariais nos setores previdenciários e de seguros.

Como está o mercado de trabalho para quem faz economia?

Para estar apto a trabalhar na área, o economista precisa obter um registro junto ao Conselho Regional de Economia ― Corecon. Porém, saiba que o mercado de trabalho é bastante competitivo.

As melhores oportunidades estão no mercado financeiro, macroeconômico, de estratégia e organização industrial. Além disso, empresas têm procurado profissionais para fazer análise do mercado internacional e agronegócio.

Para quem pretende construir carreira em bancos, pode atuar nos privados que têm crescido muito nos últimos anos. Os bancos públicos também estão contratando bastante, principalmente o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social ― BNDS ―e o Banco Central.

As multinacionais e indústrias oferecem boas vagas, mas você consegue atuar também em seguradoras, financeiras e corretoras. Como é um profissional que pode atuar em diversas áreas, as possibilidades se tornam mais amplas. Conheça os setores em que você pode trabalhar com economista.

1. Comércio Internacional

O economista pode atuar no planejamento e na execução de negócios entre empresas de países diferentes. O profissional dessa área precisa estudar os mercados dos países, pois terá que lidar com questões de importação, exportação e entendimento de câmbio.

2. Economia Agroindustrial

A agroindústria busca profissionais que entendem a fundo as ciências econômicas e as transações do agronegócio. Deve analisar a demanda de produtos para estudar a melhor forma de viabilizá-los no mercado nacional e internacional.

3. Economia Ambiental

O profissional também pode trabalhar com questões ambientais, com o objetivo de fazer com que a empresa cresça sem agredir o meio ambiente em sua volta. Para isso, precisa participar da elaboração de projetos ambientais em indústrias, ONGs e órgãos públicos.

Com o avanço da sustentabilidade ― social, econômica e ambiental ―, essa é uma área que possui uma alta demanda. Vale a pena se especializar para atuar exclusivamente no setor.

4. Fusões e Aquisições

As fusões e aquisições vêm crescendo atualmente. Vários bancos estão adotando essa medida para não levar a falência de alguns e aumentar a autoridade de outros. O economista pode atuar nesta área, avaliando pedidos de fusão e/ou aquisição, elaborando pareceres e realizando análises para o mercado.

5. Mediação e Arbitragem

O trabalho do economista nessa área é ajudar a resolver litígios comerciais entre empresas. Ele precisa avaliar se deve recorrer ou não à justiça.

6. Mercado Financeiro

O economista pode atuar analisando o mercado para indicar quais os melhores investimentos. Dentro dessa área pode trabalhar tanto em corretoras de investimento e ações quanto na bolsa de valores, como operador.

7. Perícia

Existe a possibilidade de trabalhar com perícia. O perito, nesse caso, é o profissional que analisa operações financeiras e elabora uma conclusão da sua análise. Essa perícia pode ser feita para fins judiciais ou extrajudiciais.

veja também:
Faculdade de direito: saiba mais sobre o curso

Para isso, é necessário que o profissional faça auditorias, além de realizar exames comprobatórios das transações contábeis e financeiras de uma organização. A auditoria pode ser interna (dentro da organização) ou externa (checando e validando os números de outras organizações).

8. Pesquisa

O formando em economia pode trabalhar com pesquisas, fazer o levantamento de informações dos índices de desemprego, inflação, juros, IDH ― Índice de Desenvolvimento Humano ―, PIB ― Produto Interno Bruto ―, concentração de renda e custo de vida.

Para a área comercial, o economista deve fazer o levantamento da variação de preços e custos para que o setor de compras possa fazer a melhor negociação e estipular quais serão os melhores preços praticados dentro do negócio.

9. Planejamento Estratégico

Essa é a área com maior necessidade no mercado, onde o trabalho do economista é analisar dados e informações para tomar uma decisão estratégica. Entre essas estratégias podem estar a criação de novos serviços, preços, oportunidades para a empresa, uma mudança de direção nos negócios, buscar mais participação no mercado, entre outras demandas.

Com a compilação de informações, esse profissional deverá ser indicado para fazer o planejamento de orçamentos, ou seja, será o responsável em determinar o que pode e o que não pode ser gasto.

10. Políticas Públicas

O setor público é um dos que mais precisam dos muitos profissionais das Ciências Econômicas. São eles que devem definir a política econômica no nível em que trabalham ― municipal, estadual ou nacional. Serão os responsáveis pelos orçamentos que devem servir de parâmetro para cada ação determinada dentro de um planejamento do governo, além de acompanhar os seus resultados.

Onde estudar economia?

O curso de Ciências Econômicas é encontrado em todas as regiões do Brasil. Nas instituições públicas, a disputa por uma vaga é bastante concorrida. Mas, não precisa desanimar.

Como a procura pelo curso tem aumentando, as faculdades/universidades privadas incluíram o curso em sua grade ou aumentaram a demanda. Se você não pode pagar as mensalidades, várias instituições têm oferecido bolsas, convênios, descontos e até financiamento diretamente com eles.

Além disso, existem os programas do Governo como ProUni e FIES que facilitam o acesso. A sua preocupação será encontrar universidades/faculdades que sejam credenciadas junto ao MEC. Selecionamos algumas delas para você consultar.

  • Centro Educacional Anhanguera (ANHANGUERA)
  • Universidade Norte do Paraná (UNOPAR)
  • Universidade Cruzeiro do Sul (UNICSUL)
  • Universidade de Franca (UNIFRAN)
  • Universidade Estácio de Sá (UNESA)
  • Faculdade Pitágoras (PITÁGORAS – MG)

Agora que você já sabe como é a faculdade de economia, como é o curso, o que se estuda dentro da graduação, como está o mercado de trabalho e qual o perfil do profissional que o mercado está buscando, chegou a hora de decidir se é isso que você realmente quer. Se optar pelo curso, já sabe que o mercado está aberto para receber muito bem o seu trabalho.