Gráfico ABNT: saiba como incluir no seu trabalho acadêmico

Um trabalho acadêmico pode ser muito enriquecido com o uso de gráficos e outras imagens que ajudem o autor a expressar suas ideias para o leitor. No entanto, é preciso tomar alguns cuidados quando adicionamos estes elementos visuais no texto, especialmente para adequar o trabalho nas regras da ABNT.

Neste artigo, vamos tirar as dúvidas sobre a utilização de gráficos em trabalhos acadêmicos e como formatá-los às normas. Confira!

A utilização gráficos no seu trabalho acadêmico

Os gráficos sempre apareceram em trabalhos acadêmicos em científicos, mesmo antes das facilidades tecnológicas que geram gráficos automáticos após o preenchimento dos dados. Isso porque os gráficos, assim como as tabelas, são formas dinâmicas e simplificadas de apresentar informações relevantes para o leitor. Muito utilizados em trabalhos que realizam análise de dados, os gráficos apresentam informações referentes a um intervalo pré-determinado pelo seu autor.

Apesar de ser uma ferramenta bastante simples na maior partes das vezes, um bom gráfico pode condensar uma série de informações relevantes que exigiria um texto muito longo ou complexo para explicar. Dessa forma, o gráfico traz mais dinâmica ao mesmo tempo em que sinaliza pontos importantes sobre o assunto discutido para o leitor.

Embora a Associação Brasileira de Normas Técnicas (a ABNT) possua algumas diretrizes sobre a inclusão de gráficos em trabalhos acadêmicos (como você poderá ver detalhadamente abaixo), ela não determina preferências nos tipos de gráficos incluídos no trabalho. Dessa forma, o estudante deve pensar sobre que configuração de gráfico melhor expressa as informações necessárias, tanto na sua forma como nas suas cores.

Ainda assim, os gráficos de linhas, barras e pizza são os mais utilizados em trabalho. Isso pode ser explicado pelo fato de serem imagens fáceis de serem lidas e também por serem facilmente criadas através das ferramentas de criação de planilhas, como o Microsoft Excel ou o Planilhas Google.

Quais as regras da ABNT sobre a inclusão de gráficos e outras figuras?

Segundo a normativa da ABNT, os gráficos fazem parte da categoria figura, que inclui também fotografias, mapas, desenhos, fluxogramas, organogramas e outros tipos de imagens ilustrativas. Estas figuras podem ser incluídas no corpo do texto ou incorporadas diretamente no anexo do trabalho, sempre com indicação no corpo do texto, quando são referenciadas no desenvolvimento do trabalho.

De acordo com as normas da ABNT, as figuras adicionadas ao texto devem ser centralizadas na página em que se encontra, possuindo um tamanho adequado para a visualização dela pelo leitor.  Além disso, é obrigatório a titulação e numeração de todas as figuras na ordem em que aparecem no trabalho. Assim, quando o texto discute uma figura específica, seja ela um gráfico, fotografia, mapa, etc., o leitor poderá acompanhar a leitura vendo a imagem indicada.

Assim, a titulação da figura deve ser precedida pela expressão “Figura”, a sua numeração e um travessão (-). A formatação deste texto deve ser feito na fonte Arial ou Times New Roman, tamanho 12. Confira o exemplo:

Exemplo de gráfico

Outro detalhe é que todos os títulos e numeração das figuras utilizadas deverão ser compilados em uma lista e adicionada entre os elementos pré-textuais do trabalho. A chamada Lista de Figuras é uma espécie de sumário destinado somente ao conteúdo visual (exceto as tabelas, que recebe um lista própria) do trabalho. Confira um exemplo:

exemplo de lista de figuras

Logo após a figura, deve-se também informar qual a fonte de origem na legenda da imagem, mesmo se a figura for de autoria própria do autor do texto. Junto a fonte, pode-se também incluir notas ou outras informações que ajudem o leitor a compreender a imagem.

Estas legendas devem acompanhar a fonte do texto do trabalho, mas no tamanho 10.

Cuidados na hora de adicionar gráficos no seu trabalho acadêmico

Agora, confira alguns cuidados a serem tomados na hora de escolher e incluir gráficos no seu trabalho acadêmico.

Quantas figuras adicionar?

Não existe um número mínimo nem máximo de figuras que precisam ser adicionados ao trabalho. É preciso lembrar só toda figura adicionada ao trabalho precisa ter uma razão para estar ali justificada no texto. Num trabalho relacionado às artes visuais, onde se analisa obras de arte, por exemplo, é normal que existam muitas imagens, pois todas são apontadas no texto. Por outro lado, em um trabalho sobre literatura, é comum a ausência ou o baixo número de figuras. Tudo vai depender sobre o tema do trabalho e da pertinência das figuras nele.

Para gráficos produzidos por terceiros, não esqueça de citar a fonte!

Como já citamos antes, gráficos retirados de outros estudos ou publicação que forem adicionados ao trabalho devem ser devidamente referenciados. As fontes originais devem aparecer tanto na legenda da imagem como também na parte de referências do trabalho, que aparece nos elementos pós-textuais.

Além disso, a citação vai depender do tipo de fonte, podendo ser de um livro, monografia, artigo ou outras formas de publicação. Para conferir como referenciar cada tipo de formato, confira a normativa NBR 6023 da ABNT.

Atenção para a qualidade da imagem e outros elementos visuais

Quando estamos falando de um elemento visual que vem dar suporte para a argumentação ou para as informações apresentadas em um texto, precisamos prestar atenção em como apresentamos estas informações. É importante ficar atento à qualidade da imagem, assim como a sua composição.

Dê preferência para imagens mais simples, com boa distinção de cores pelas categorias do gráfico e um fundo limpo. Além disso, um cuidado com a escala do material é fundamental. Gráficos muito pequenos podem apresentar dificuldades para o leitor, especialmente se tiver muitas informações.

Esperamos ter tirado todas as suas dúvidas sobre o uso de gráficos e outros elementos visuais de acordo com as regras da ABNT. Continue acompanhando nossos conteúdos para mais dicas!