Quanto ganha um analista de sistemas?

A demanda por profissionais da área de tecnologia cresce na mesma proporção que a sociedade se moderniza. E o analista de sistemas é um desses profissionais.

Responsável por analisar e desenvolver sistemas, mapear processos, fazer o levantamento de dados, entre outras funções, o  analista de sistemas trabalha diretamente na área da Tecnologia da Informação (TI) .

Esse profissional também pode atuar no desempenho e na customização de sistemas que já estão em uso, oferecendo suporte técnico.

Uma das profissões mais promissoras dos últimos anos, o profissional de tecnologia encontra um mercado aquecido e forte onde sobram vagas, mesmo com os bons salários oferecidos.

Saiba mais sobre a profissão e quanto ganha um analista de sistemas:

Piso salarial e jornada de trabalho de um analista de sistema

A profissão de analista de sistemas não é regulamenta e, tampouco possui uma legislação que estabelece o piso salarial ou a jornada de trabalho da categoria. Contudo, alguns sindicatos da área costumam firmar acordos para melhoria das condições de trabalho e aumentos salariais. Porém, tais medidas valem apenas para a região especifica de onde o sindicato atua.

O projeto de lei 5487/2013, em tramitação no Congresso há cinco anos, pretende regulamentar a profissão e outras ocupações similares. Entre as propostas estão formalizar a jornada de trabalho em 40 horas semanais e restringir a atividade apenas a profissionais com diploma de nível técnico e superior.

Média salarial de um analista de sistema

O salário de um analista de sistemas pode variar de acordo com a empresa, o tempo de atuação no mercado e a área de especialização.

De acordo com o site Love Mondays, plataforma online que reúne empresas e salários de profissionais de todo o país, um analista de sistemas nível júnior, com até dois anos de experiência, ganha em média R$ 3.813,00 mensais.

A nível pleno, o salário sobe para, em média, R$ 5.680,00 por mês. Na faixa sênior, onde se incluem os profissionais mais experientes, o salário mensal passa dos R$ 8 mil.

No entanto, a especialização do profissional conta muito na hora do cálculo salarial. Analistas de sistemas que trabalham com a linguagem de programação Java tendem a a ganhar os melhores salários. Confira abaixo a relação de salários por especialização e experiência, de acordo com o Love Mondays:

Analista de Sistemas Júnior

Um analista de Sistemas nível júnior ganha em média R$ 3.813,00. Empresas como Itaú e Bradesco remuneram seus profissionais em R$ 5.649 e R$ 5.052, respectivamente. Dois dos melhores salários para esse nível de experiência.

Analista de Sistemas Pleno

Um analista nível pleno tem remuneração mensal na casa dos R$ 5.900. Um analista de sistemas nível pleno na Petrobras ganha um salário de R$ 12.955 já o Universo Online (UOL) remunera em R$ 7.519 mensais.

Analista de Sistemas Sênior

Um analista sênior recebe, em média, R$ 8.200 mensais. Os melhores salários para esses profissionais estão nas empresas B3 e Itaú, com valores mensais de R$ 11.616 e R$ 11.060, respectivamente.

Analista de Sistemas Web

A média salarial de um analista de sistemas web é de R$ 4.690 mensal. Editora Moderna e Ibrowse Consultoria pagam salários de R$ 9.800 e R$ 7.880, respectivamente.

veja também:
Quanto ganha um psicólogo?

Analista de Sistemas Java Pleno

Um analista em Java recebe, em média, R$ 5.777 ao mês. O UOL tem o melhor salário da categoria R$ 7.600, seguido pela Resource IT Solutions que oferece mensalmente R$ 6.747.

Analista de Sistemas Java Sênior

A melhor média salarial de um analista de sistemas vai para o cargo sênior da linguagem Java. A remuneração fica na casa dos R$ 8.335 mensais. O melhor salário da categoria – R$ 10.400 – é pago pela empresa Magna Sistemas.

Analista de Sistemas de Automação

O analista de automação fatura em média R$ 5.132 mensais. A Petrobras é a empresa com a melhor remuneração na área: R$ 13.200. Outro bom salário praticado no mercado é da empresa Rexam: R$ 10.100.

Analista de Sistemas Mainframe

Com um salário médio mensal de R$ 6.724, o profissional de Mainframe é o segundo melhor remunerado no mercado quando comparado ao nível sênior da programação Java. Mas levando em consideração que esse é o salario de um profissional a nível pleno, pode-se dizer que ele é o mais alto entre os analistas.

Analista de Sistemas de Qualidade

Um analista de sistemas de qualidade fica com a menor média salarial da profissão. A remuneração dessa categoria gira em torno dos R$ 3.700 mensais. Empresas como LIASA Ligas de Alumínio e Imbil pagam acima da média, R$ 7.100 e R$ 4.200, respectivamente.

Analista de Sistemas SAP Pleno

O analista de sistemas SAP Pleno recebe em média R$ 6.500 mensais.

Analista de Sistemas Bilingue

A média salarial de um analista de sistemas bilíngue é de R$ 3.666 ao mês. As empresas TOTVS e Avanade pagam os melhores salários na área: R$ 5.600 e R$ 4.800, respectivamente.

Perfil profissional do analista de sistemas

O analista de sistema enxerga soluções onde a maioria só vê problemas. Com o uso de sistemas e recursos tecnológicos de hardware e software, esse profissional tem a missão de analisar, documentar, projetar, gerenciar e levantar dados.

Muitas vezes cabe a esse profissional também a função de programar e testar sistemas de informação.

Além das funções citadas acima, o analista de sistemas pode trabalhar com administração de banco de dados e informações, gerente de redes de médio e pequeno porte e engenheiro de programas. Caso o profissional se interesse pela área acadêmica, pode atuar como professor de informática ou desenvolvedor de projetos pedagógicos.

Algumas características e habilidades ajudam a compor o perfil do analista de sistemas. Esse profissional deve, por exemplo, ter uma boa capacidade de resolução de problemas. Confira na lista abaixo algumas outras características importantes para a profissão:

  • Raciocínio lógico;
  • Capacidade analítica;
  • Organização, comprometimento e responsabilidade;
  • Conhecimentos avançados em banco de dados;
  • Lógica de programação;
  • Conhecimento do comportamento do usuário;
  • Inglês avançado (idioma predominante na tecnologia);
  • Habilidade com cálculos e números;
  • Conhecimento em desenvolvimento de sistemas;
  • Bom relacionamento interpessoal.

Mercado de trabalho do analista de sistemas

Um grande gargalo da profissão é a não obrigatoriedade de formação especifica para atuar na área. A profissão, que também não é regulamentada, deixa o profissional à mercê de empresas e patrões.

veja também:
Quanto ganha um farmacêutico?

Contudo, ao cursar uma universidade ou mesmo um curso técnico as chances de conseguir um emprego e uma remuneração melhor aumentam consideravelmente.

Mesmo com os empecilhos burocráticos, a profissão não deixa de ser uma das que mais contratam. Atualmente no mercado chega a sobrar vagas tamanha a falta de profissionais devidamente qualificados para ocupar o cargo.

Por essa razão, o analista de sistemas que investir em qualificação dificilmente ficará desempregado.

As oportunidades para a profissão estão nas empresas de tecnologia de todos os portes, empresas de outros setores que necessitam de suporte e apoio em tecnologia e órgãos públicos. O analista de sistemas também pode prestar serviços como autônomo, trabalhando para diversas empresas ao mesmo tempo.

Onde estudar análise e sistemas da informação

Se você está interessado em atuar como analista de sistemas pode optar pelos cursos de sistemas de informação, Análises de Sistemas e Ciência da Computação. Há cursos disponíveis em todo o Brasil.

A Unicamp, no interior de São Paulo, está em primeiro lugar no Ranking do Jornal Folha de São Paulo das melhores faculdades de Computação. Já a USP sai na frente na avaliação de mercado. A Universidade Federal do Rio Grande do Sul e a Universidade Federal do Rio de Janeiro ficam com o segundo e terceiro lugar, respectivamente.

Conheça o ranking das 20 melhores faculdades para quem deseja se tornar um analista de sistemas, segundo o Jornal Folha de São Paulo:

  • Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP – SP);
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ – RJ);
  • Universidade de São Paulo (USP – SP);
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS – RS);
  • Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG – MG);
  • Universidade Federal de Pernambuco (UFPE – PE);
  • Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC – SC);
  • Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR – SP);
  • Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RIO – RJ);
  • Universidade de Brasília (UNB – DF);
  • Universidade Federal do Paraná (UFPR – PR);
  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP – SP);
  • Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS – RS);
  • Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA – SP);
  • Universidade Federal de Campina Grande (UFCG – PB);
  • Universidade Federal da Paraíba (UFPB – PB);
  • Universidade Federal do Ceará (UFC – CE);
  • Universidade Federal de Goiás (UFG – GO);
  • Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS – RS);
  • Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUCSP – SP).