Retenção de talentos: o que é, importância e como aplicá-la

A retenção de talentos é a aplicação de uma série de estratégias em uma empresa para manter seus colaboradores. Com retenção de talentos eficaz, a organização torna-se o local onde o talento deseja estar, ao invés de buscar a empresa concorrente. Mas como fazer isso? Acompanhe a leitura deste artigo e saiba mais.

Talentos no atual mercado de trabalho

Apesar do alto índice de desemprego no país e a consequente alta oferta de profissionais buscando colocação, não é tão fácil atrair talentos. Um talento é um profissional altamente capacitado que “veste a camisa”, ou seja, incorpora a missão, a visão e os valores da empresa e dedica-se a atingir os melhores resultados.

O profissional bem qualificado e capacitado busca diferenciais para manter-se em uma empresa. Quando não os encontra no local onde está trabalhando, há uma grande chance de que ele saia em busca de melhores oportunidades. Em alguns casos, é provável até que o profissional seja encontrado pela concorrência e receba uma proposta mais atrativa de trabalho.

Por que pensar em retenção de talentos?

A geração dos millenials (aqueles nascidos entre o início da década de 1980 e fim da década de 1990) é conhecida pela facilidade em trocar de empregos, sempre em busca de maiores desafios e crescimento profissional.

Hoje, esta geração está entre seus 20 e 40 anos, e compõe grande parte das equipes organizacionais. Portanto, a perda de talentos nas empresas que não ofereçam diferenciais atrativos é praticamente inevitável. Um exemplo disso é o resultado da pesquisa da Hay Group. Segundo relatório, praticamente dois terços das empresas encontram dificuldade em manter seus talentos.

A alta rotatividade de talentos, conhecida como turnover, pode trazer prejuízos significativos para a empresa, tanto financeiramente quanto em relação à produtividade.

Reflexos do turnover

A alta rotatividade de funcionários tem um alto custo financeiro para a empresa. Afinal, o desligamento e processo de busca, seleção e contratação de um novo profissional geram gastos significativos para a organização.

Além disso, quando um colaborador sai do cargo, há uma repercussão sobre os demais. Uma delas diz respeito ao trabalho daquele profissional desligado, que por vezes é distribuído entre os demais, gerando sobrecarga de trabalho. E mesmo após a contratação de um novo colaborador, leva-se certo tempo até que haja sua adaptação à demanda de trabalho.

Outro ponto importante sobre a saída de um colaborador são os questionamentos velados daqueles que ficam, a respeito do motivo que levou o colega a preferir outra empresa. Neste momento, a insegurança e desmotivação entre a equipe podem aumentar.

Benefícios em reter talentos

Você viu acima os pontos negativos de perder bons profissionais. Para mantê-los, é preciso aplicar uma série de estratégias; algumas, inevitavelmente, demandando investimento da organização. Mas será que vale a pena?

Especialistas na área indicam uma série de benefícios na retenção de talentos:

1. Profissionais mais colaborativos

Talentos com mais tempo de “casa” tendem a ser mais participativos e colaborativos com os colegas, contribuindo para o clima organizacional e maior produtividade.

2. Equipe mais alinhada

Colaboradores que compartilham o trabalho há mais tempo aprendem a trabalhar juntos, de forma mais alinhada, otimizando o tempo de trabalho e alcançando resultados de forma mais eficaz.

veja também:
Ownership: o que é e como estimulá-lo em seus colaboradores

3. Economia financeira

Ao reter talentos, a empresa economiza tempo e dinheiro no processo de seleção e contratação de novos colaboradores.

Como fazer, então, para manter seus talentos e garantir estes benefícios para sua empresa? Veja a seguir.

Como reter talentos

Alguns fatores são mais atrativos para os talentos. Quando combinados, aumentam as chances permanecerem na empresa por mais tempo. Alguns deles, apontados pela pesquisa da Hay Group citada anteriormente, são:

  • Oportunidade para alcançar os objetivos de crescimento de carreira;
  • Valores organizacionais alinhados com os valores pessoais;
  • Boa imagem organizacional;
  • Estímulo e reconhecimento de alta performance;
  • Boas práticas e sustentabilidade.

Para tanto, veja algumas estratégias práticas para preservar os talentos em sua empresa:

Ofereça salário coerente com a média de mercado

É claro que o salário é fator importante para o profissional. É importante oferecer uma remuneração de acordo com a média ofertada nas demais empresas, pois uma oferta muito abaixo pode ser entendida como falta de interesse e até desrespeito pelo profissional.

Por outro lado, ao contrário do que se possa imaginar, o salário não é o principal incentivo em médio e longo prazo. Por isso, as demais estratégias são igualmente importantes:

1. Reconhecimento

Uma estratégia importante de incentivo aos colaboradores é o reconhecimento por conquistas. O reconhecimento é uma das necessidades básicas do ser humano, e precisa estar presente na rotina de trabalho.

Quando há reconhecimento, os colaboradores se sentem mais estimulados e motivados a alcançarem resultados cada vez melhores. Uma pesquisa realizada pela Robert Half mostrou que um em cada três talentos deixa o cargo por falta de reconhecimento.

Mas vá além da premiação monetária. Premiações com experiências, tanto de cunho pessoal (viagens, por exemplo) quanto profissional (como cursos) são bastante populares entre os talentos.

2. Ambiente agradável

Oferecer um ambiente de trabalho agradável também é indispensável. É importante considerar o espaço físico e os recursos necessários para executar o trabalho. Mas, além disso, o clima organizacional também é outro fator importantíssimo para retenção de talentos.

Vale lembrar que o ambiente de trabalho é onde o colaborador passa a maior parte de seu tempo. Por isso, é fundamental que este espaço e seu convívio sejam agradáveis.

3. Oferta de benefícios

Os benefícios também pesam na escolha dos talentos por permanecer no cargo. Novamente aponto para ofertas além de remuneração: benefícios como oferta de espaço de descanso e flexibilidade de horário são muito bem recebidos pelos colaboradores.

Mas lembre-se de estudar quais benefícios são atrativos para seus talentos. Assim, a empresa pode focar em ofertar benefícios que sejam de fato usufruídos por seus colaboradores.

4. Boa liderança

Este ponto aparece sempre que falamos em alcançar resultados positivos dentro da empresa. Um bom líder é aquele que atua de acordo com os valores da empresa. Além disso, uma boa liderança mostra-se parceira, disposta a trabalhar com seus colaboradores.

A liderança, em geral, é um dos principais motivos pelos quais um talento se desliga de um cargo. Por isso, invista em capacitação para seus líderes e feedbacks sobre seu desempenho e relacionamento com os liderados.

veja também:
Autoconfiança: importância no trabalho e 10 dicas para desenvolvê-la

5. Feedback

Falando em feedback, este é outro ponto indispensável para reter talentos. Feedback é uma palavra inglesa, muitas vezes traduzida como retroalimentação. Esta prática diz respeito a comunicar ao outro o resultado de seu desempenho. O feedback é importante tanto para o que pode melhorar quanto para o reconhecimento das condutas positivas. Assim, o talento se motiva e pode melhorar naquilo que ainda precisa ser desenvolvido.

6. Oportunidade de desenvolvimento

Como falamos no início, os talentos buscam por constante crescimento profissional, o que por vezes os levam a buscar outras empresas. Por isso, é fundamental oferecer este tipo de oportunidade dentro de sua empresa.

Ofereça ao seu talento um cargo que condiga com suas aptidões. Além disso, ofereça estímulos para o contínuo aprimoramento profissional, como cursos e capacitações; e oportunidades de promoção, conforme suas competências são desenvolvidas.

Planos de carreira são um diferencial em grandes empresas, mas também podem e devem ser empregados em organizações de pequeno e médio porte, aumentando as chances de retenção de seus talentos.

7. Equilíbrio entre vida pessoal e profissional

Cargos que demandam dedicação excessiva de horas do profissional, além de ausência constante de casa para viagens, por exemplo, podem interferir em sua vida pessoal. O equilíbrio é fundamental para a qualidade de vida, e, consequentemente, do desempenho profissional.

A sobrecarga pode ser “abraçada” pelo talento em curto prazo, até com resultados tangíveis. Contudo, em longo prazo, provavelmente trará prejuízos, ou até a perda do colaborador.

Retenção de talentos na prática

É certo que colocar em prática a retenção de talentos como proposta aqui demanda algum investimento financeiro. Porém, a maioria das estratégias está mais relacionada à postura da empresa.

Além disso, o custo-benefício é muito maior do que aquele gerado pela alta rotatividade de colaboradores. Implantar práticas de retenção de talentos irá também contribuir para uma boa imagem da empresa perante o mercado e ainda poderá atrair novos talentos.

Colocando estas estratégias em prática, a empresa conquistará ainda outros benefícios, como profissionais mais engajados, motivados e oferecendo melhores resultados.

Espero que este conteúdo tenha sido esclarecedor e seja útil para seu dia a dia. Caso ele tenha lhe ajudado, compartilhe-o e ajude outras pessoas. Para mais artigos sobre carreira, vida acadêmica e profissional, continue nos acompanhando.