Quanto ganha um arquiteto?

A arquitetura não é uma das profissões mais bem pagas do país, mesmo assim seus profissionais podem se considerar bem remunerados. As melhores oportunidades para arquitetos, atualmente, estão na carreira autônoma. Os profissionais que decidem trabalhar por conta própria recebem os melhores salários e, com isso, muitos deles estão optando pelo empreendedorismo e abrindo seu próprio escritório.

As grandes cidades concentram as maiores e melhores colocações profissionais para arquitetos. Os estados do Sul e Sudeste possuem o maior número de vagas. É nesses estados também que a remuneração é maior. Na região Nordeste a demanda por arquitetos vem aumentando, graças ao investimento em turismo que aqueceu o mercado hoteleiro.

Mas, afinal, quanto ganha um arquiteto? Para responder essa pergunta é preciso considerar muitas variáveis, incluindo o estado em que o profissional atua e a que tipo de serviço ele se dedica. Vamos explicar tudo isso aqui. Acompanhe com a gente:

Piso salarial e jornada de trabalho de um arquiteto

Escritório de arquitetura - Quanto ganha um arquiteto

Foto: Freepik

Existe uma lei no Brasil que determina o piso salarial de um arquiteto de acordo com sua jornada diária de trabalho. A Lei nº 4.950-A/66, de 1966, também rege a remuneração de engenheiros, agrônomos e médicos veterinários de todo o país. Essa tabela única determina que o salário desses profissionais deve estar  vinculado ao valor do salário mínimo nacional, conforme segue:

  • Jornada de 6 horas: 6 salários mínimos (R$ 5.724,00);
  • Jornada de 7 horas: 7,25 salários mínimos (R$ 6.916,00);
  • Jornada de 8 horas: 8,5 salários mínimos (R$ 8.109,00);

De acordo com o censo realizado pelo Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU/BR), 40% dos arquitetos realizam uma jornada de trabalho com mais de 40 horas semanais e 26% seguem uma jornada entre 30 a 40 horas por semana.

Sendo assim, teoricamente, um arquiteto que trabalha 40 horas semanais receberia ao final do mês R$ 8.109,00, ou 8,5 salários mínimos. Mas, esses valores variam muito dependendo da região em que o profissional atua. Outro fator que irá determinar o salário de um arquiteto e se ele atua como pessoa jurídica ou é contratado por alguma empresa em vínculo CLT.

Média salarial de um arquiteto

O salário médio de um arquiteto contratado é de R$ 5.479 mensal, segundo dados do site Love Mondays, plataforma digital que reúne dados de empresas do país. O site revela também que o salário de um arquiteto pode variar entre R$ 840 a R$ 22.000.

Ainda, de acordo com o site, um arquiteto júnior recebe em média R$ 4 mil por mês. Já um profissional de nível sênior pode ganhar um salário médio de R$ 7 mil mensal.

Confira abaixo algumas das remunerações praticadas no mercado de trabalho, de acordo com o site Love Mondays:

  • R$ 4.058,00 – MRV Engenharia
  • R$ 5.333,00 – Gafisa
  • R$ 5.915,00 – Tecnisa
  • R$ 6.995,00 – Grupo Queiroz Galvão
  • R$ 7.147,00 – Odebrecht
  • R$ 8.388,00 – Concremat
  • R$ 8.544,00 – Itaú
  • R$ 10.550,00 – Tecnoplan
  • R$ 12.365,00 – IBM
  • R$ 12.655,00 – Caixa Econômica Federal

Os salários médios de um arquiteto também podem variar de acordo com o cargo exercido. A pesquisa salarial da empresa Catho, divulgou que a renda mensal de um arquiteto definida a partir do cargo é de:

  • Arquiteto: entre R$ 2.659 e R$ 7.000, com média nacional de R$ 4.499;
  • Arquiteto vendedor: entre R$ 1.400 e R$ 4.000, com média nacional de R$ 2.655;
  • Arquiteto especificador: entre R$ 2.500 e R$ 5.000, com média nacional de R$ 3.138;
  • Arquiteto urbanista: entre R$ 2.700 e R$ 6.500, com média nacional de R$ 4.355;
  • Arquiteto coordenador: entre R$ 3.700 e R$ 8.300, com média nacional de R$ 5.450;
  • Arquiteto de edificações: entre R$ 3.000 e R$ 6.500 com média nacional de R$ 3.853;

Média salarial de um arquiteto pessoa jurídica

Os arquitetos que possuem CNPJ e trabalham de modo autônomo, com escritório próprio ou em sociedade com outros profissionais são os mais bem remunerados da categoria. De acordo com o censo do CAU, esses profissionais ficam na faixa salarial dos 20 salários mínimos, ou R$ 20 mil, a maior da profissão.

O arquiteto que se dedica a projetos para pessoas físicas tende a ganhar um salário menor, geralmente até oito salários mínimos ou algo em torno de R$ 7,6 mil mensal. Os arquitetos que recebem acima de oito salários mínimos são aqueles que prestam serviço para outras empresas, conquistando um faturamento mensal entre R$ 8 e R$ 20 mil. Ou seja, um arquiteto pessoa jurídica prestando serviços para outra pessoa jurídica tem maior probabilidade de ganhar os maiores salários e estar acima da média da categoria.

Onde estudar arquitetura?

A faculdade de arquitetura precisa oferecer uma boa estrutura para seus alunos, com professores bem qualificados e uma grade curricular completa. São muitas faculdades que oferecem o curso atualmente no Brasil e, por isso mesmo, que a pesquisa deve ser rigorosa e cuidadosa.

As primeiras escolas de arquitetura do Brasil tiveram origem nos cursos de Belas Artes (Rio de Janeiro) e engenharia (São Paulo). Atualmente existem mais de 140 escolas e cursos de arquitetura espalhados pelo Brasil.

De acordo com o Ranking Universitário do Jornal Folha de São Paulo, a Universidade Federal do Rio Grande do Sul é a primeira colocada no quesito qualidade de ensino. Já a Universidade de São Paulo fica com o primeiro lugar quanto à avaliação do mercado.

Selecionamos abaixo, as melhores faculdades de arquitetura do Brasil segundo o Ranking do Jornal Folha de São Paulo. Confira:

  1. Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG – MG)
  2. Universidade de São Paulo (USP – SP)
  3. Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ – RJ)
  4. Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS – RS)
  5. Universidade Presbiteriana Mackenzie (MACKENZIE – SP)
  6. Universidade de Brasília (UNB – DF)
  7. Universidade Federal do Paraná (UFPR – PR)
  8. Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP – SP)
  9. Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC – SC)
  10. Universidade Federal da Bahia (UFBA – BA)
  11. Universidade Federal do Ceará (UFC – CE)
  12. Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP – SP)
  13. Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS – RS)
  14. Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS – RS)
  15. Centro Universitário Belas Artes de São Paulo (FEBASP – SP)
  16. Universidade Federal de Pernambuco (UFPE – PE)
  17. Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-CAMPINAS – SP)
  18. Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN – RN)
  19. Universidade Estadual de Londrina (UEL – PR)
  20. Universidade Paulista (UNIP – SP)

Como é a carreira e o mercado de trabalho de um arquiteto

Arquiteta trabalhando: quanto ganha?

Foto: Freepik

O arquiteto é o profissional dedicado a criar projetos que contemplem estrutura, design e funcionalidade. De história da arte à cálculos da física e da matemática, a arquitetura é uma profissão que caminha por diferentes áreas do conhecimento e, por essa razão, exige de seus profissionais muita versatilidade e criatividade para criar projetos originais e bem conceituados.

Para exercer a função de arquiteto no Brasil é obrigatório possuir diploma em Arquitetura e Urbanismo em faculdade reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC). O curso de arquitetura tem duração de cinco anos e para conclui-lo é necessário realizar estágio supervisionado na área.

O arquiteto também precisa estar registrado no Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU/BR). Desde 2011, a categoria passou a contar com uma entidade própria que regulamenta suas atividades. A obtenção do registro é simples e leva em torno de um mês para ser concluído. Anteriormente, o profissional de arquitetura era submetido ao mesmo conselho dos engenheiros, o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea).

O arquiteto possui um campo amplo de trabalho. Ele pode atuar de modo autônomo, em empresas públicas e privadas, como foi citado anteriormente, ou, ainda, na preservação do patrimônio histórico, no planejamento urbano e regional, no paisagismo e na arquitetura de interiores. Também há vagas para arquitetos nas Instituições de Ensino e Pesquisa e em Organizações Não Governamentais (ONG’s).

Dentre as funções que um arquiteto pode desempenhar estão: edificações, urbanismo e construção, consultoria, cenografia, luminotécnica, conservação de patrimônio histórico, design gráfico, decoração e paisagismo, dentre outras. Dependendo da afinidade que você tiver com cada uma dessas áreas.

Para estar sempre em alta no mercado, o bom arquiteto deve se manter atualizado e buscar especializações constantes. É importante também estar sempre atento às tendências de mercado, especialmente nas áreas ligadas ao urbanismo, construção, paisagismo, decoração e design.

Ao olhar para o mercado de trabalho de arquitetura e urbanismo é possível perceber que há uma tendência para a formação de empreendedores e profissionais liberais. Portanto, se você além de possuir as habilidades necessárias para o curso ainda tiver talento para os negócios, a arquitetura pode se revelar a profissão perfeita para você.