Quanto ganha um nutricionista?

Se você está estudando nutrição, mas ainda não sabe quanto ganha um nutricionista, esse artigo é para você. Saiba que é uma carreira promissora e que tem se destacado nos últimos tempos.

São várias áreas em que você pode trabalhar e o salário sofre variação por isso. Portanto, é importante ter conhecimento sobre os setores que precisam da atuação desse profissional. Acompanhe em nosso artigo algumas informações que vão fazer a diferença na sua carreira de nutricionista.

Quanto ganha um nutricionista e qual a média salarial?

A área de nutrição é bem ampla, portanto, os salários podem variar de acordo com o cargo exercido e a empresa onde trabalha. Além disso, é muito comum os nutricionistas terem mais de um trabalho para complementar renda.

Para os profissionais iniciantes na carreira, a média salarial é de R$ 1.304 para auxiliares, mas a média Brasil gira em torno de R$ 2.071. Veja como estão os salários de alguns cargos exercidos por nutricionistas.

  • Gerente de Nutrição: R$ 5.500;
  • Supervisor de Nutrição: R$ 4.645;
  • Atendente de Nutrição: R$ 1.467;
  • Auxiliar de Nutrição: R$1.304;
  • Estagiário de Nutrição: R$ 961;
  • Técnico de Nutrição: R$ 1.919;
  • Nutricionista: R$ 3.470;
  • Nutricionista Sênior: R$ 5.101;
  • Nutricionista Pleno: R$ 3.923;
  • Nutricionista Júnior: R$ 3.436;
  • Nutricionista Clínico: R$ 3.288;
  • Nutricionista de Produção: R$ 3.425;
  • Nutricionista de Qualidade: R$ 3.356;
  • Nutricionista Comercial: R$ 3.188;
  • Nutricionista Esportivo: R$ 3.285;
  • Trainee em Nutrição: R$ 1.723.

A média salarial também pode sofrer alterações por estado. Confira alguns deles:

  • Goiás: R$ 1.942;
  • Paraná: R$ 1.956;
  • Minas Gerais: R$ 2.077;
  • Pernambuco: R$ 2.114;
  • Espírito Santo: R$ 2.133;
  • Bahia: R$ 2.142;
  • Distrito Federal: R$ 2.171;
  • Rio Grande do Sul: R$ 2.191;
  • Santa Catarina: R$ 2.337;
  • São Paulo: R$ 2.354;
  • Rio de Janeiro: R$ 2.357.

Quais os benefícios para o profissional de nutrição?

Nutricionista

O profissional de nutrição presta atendimento autônomo e trabalha em empresas privadas como hotéis, restaurantes, prestadores de serviços hospitalares, refeitórios de escola e empresas. Portanto, não há uma exigência sobre os benefícios da categoria. Fica a critério da empresa.

O ideal é se informar diretamente na empresa que você está pleiteando uma vaga. Mas, a maioria delas trabalha com os benefícios abaixo:

  • Plano de saúde e odontológico;
  • Vale-alimentação/cesta básica;
  • Vale-refeição/refeitório;
  • Vale-transporte;
  • Auxílio-creche;
  • Seguro de vida.

Qual o piso salarial do nutricionista?

O piso salarial da categoria vai variar conforme o estado. Cada convenção coletiva define qual o valor do salário inicial do nutricionista. Pode sofrer alteração conforme o setor que o profissional for trabalhar.

No estado de São Paulo, o piso salarial é definido pelo Sindicato dos Nutricionistas conforme o setor.

  • Indústria (FIESP): R$ 2.383;
  • Comércio (FECOMERCIO): R$ 2.609;
  • Hospital e Clínica (SINDHOSP): R$ 2.737;
  • Refeições Coletivas: R$ 2.800 ― precisa ter mais de um ano e meio de experiência;
  • Santa Casa e Unidades Filantrópicas (SINDHOSFIL ― Grande São Paulo): R$ 2.439;
  • Presidente Prudente (SINDHOSFIL): R$ 2.420;
  • SINCOOMED: R$ 2.738;
  • SINBFIR: R$ 2.773.

Para o nordeste, mais precisamente na Bahia, o Sindicato de Nutricionista do Estado determina um piso de R$ 2.312 para uma jornada de apenas 20 horas semanais. Se for para trabalhar 30 horas, o valor aumenta para R$ 2.643 e com 40 horas semanais o profissional deve receber a partir de R$ 3.304. Na região do Mato Grosso do Sul, o piso para uma jornada de 40 horas semanais é de R$ 2.703.

Para quem trabalha de forma autônoma ou prestando consultoria, a Federação Nacional dos Nutricionistas possui uma tabela de honorários com valores mínimos do que deve ser cobrado para execução de alguns serviços.

veja também:
Quanto ganha um advogado?

Essa tabela serve para você ter como parâmetro quais os valores devem ser praticados na área para não cobrar nem a mais e nem a menos. É recomendável que você siga as informações contidas nele.

  • Piso Nacional de Referência (para 44 horas semanais): R$ 2.389;
  • Hora técnica: R$ 89;
  • Consulta em Nutrição Clínica: R$ 118;
  • Consulta em Nutrição Domiciliar: R$ 178;
  • Treinamento em Nutrição e Dietética: R$ 178/hora;
  • Palestras na Área de Nutrição: R$ 356/hora.

Existe uma lei (PL 6819/2010), que está em tramitação e que tem o objetivo de regular o número mínimo de nutricionistas ― algumas empresas precisam contratar mais de um nutricionista ―, definir uma jornada de 30 horas semanais e determinar o pagamento de adicional de insalubridade para a categoria.

Como é a carreira do nutricionista?

Nutricionista no trabalho

Tudo o que você estudar na graduação pode ser usado em todos os setores da nutrição. Para construir sua carreira na área, você precisa optar em qual setor gostaria de trabalhar. Para isso, o ideal é investir em cursos de extensão e especialização para ser um profissional requisitado.

Os altos números de academias, a preocupação que as pessoas passaram a ter com a saúde, alimentação, com o corpo e a divulgação de profissionais nas mídias digitais, tem contribuído para a alta procura desses profissionais.

Com isso, abriram-se campos de atuação em diferentes tipos de empresas. Além do nutricionista clínico, a área de consultoria foi uma das que mais cresceu. Veja algumas áreas em que o nutricionista pode trabalhar.

1. Nutrição clínica

Presta assistência dietética e busca restaurar o estado nutricional de pessoas doentes, além de manter o bom estado dos pacientes saudáveis. Dentro da nutrição clínica, o profissional pode atuar em três áreas:

  • Nutrição hospitalar : atendimento ao paciente hospitalizado, banco de leite humano, lactário, EMTN (Equipe Multidisciplinar em Terapia Nutricional);
  • Nutrição ambulatorial: atendimento nutricional aos pacientes em consultórios, spas, asilos, clínicas, personal diet, academias, clínicas de estética;
  • Nutrição domiciliar: busca orientar o paciente a elaborar rotinas mais saudáveis em sua própria residência. Também pode executar o treinamento de profissionais de saúde e familiares, para manter uma alimentação saudável para o doente.

2. Saúde coletiva

Trata-se da assistência e da educação nutricional em coletividade para pessoas saudáveis ou doentes. O profissional trabalha promovendo a saúde por meio de campanhas, programas, pesquisas e atendimento na área da nutrição. A atividade pode ser feita com vários profissionais.

3. Consultoria e assessoria nutricional

Essas são duas áreas de atuação das mais conhecidas atualmente. Nelas, o profissional presta serviços a restaurantes, empresas ou outras instituições. Veja como o profissional deve se comportar em cada uma delas.

4. Consultoria

O nutricionista realiza a consultoria mediante solicitação do paciente. Ele faz análise, avalia e emite parecer sobre assuntos e serviços relacionados à sua especialidade dentro do prazo determinado.

5. Assessoria

O profissional habilitado, embasado em seus conhecimentos, habilidades e experiências, pode assistir tecnicamente pessoas físicas e jurídicas. Ele faz o planejamento, implementando e avaliando os programas e projetos em atividades específicas na área de alimentação e nutrição.

Quem trabalha nessa área pode colocar-se à disposição para oferecer soluções. Somente não pode assumir responsabilidades técnicas.

6. Alimentação coletiva

Em empresas privadas como restaurantes, hotéis, escolas, supermercados, entre outros, o nutricionista atua no planejamento e no controle da qualidade de refeições, no treinamento de funcionários e na administração de custos.

O nutricionista é o responsável pela elaboração de documentos como manual de boas práticas, POPs e APPPCC que são exigidos por órgãos públicos. Além disso, também deve assumir a responsabilidade técnica, supervisionar e avaliar os serviços prestados por unidade de alimentação e nutrição com acréscimo no valor salarial.

veja também:
Quanto ganha um dentista?

7. Empreendedorismo na nutrição

Para quem pretende empreender, a área de nutrição é muito promissora para isso, em virtude da quantidade de oportunidades em que ele pode prestar serviços. Uma das áreas mais procuradas é de suplemento alimentar natural.

As pessoas estão preocupadas em não mais consumir produtos industrializados. Para atender essa demanda, muitos profissionais estão desenvolvendo linhas de suplementação funcional que focam no desenvolvimento sustentável e orgânico.

8. Nutrição esportiva

Pela grande demanda de pessoas preocupadas com a sua alimentação e bem-estar, o profissional que atua na área esportiva vem ganhando destaque. Ele pode prestar atendimento em qualquer ambiente, mas a maioria está presente em academias e consultórios.

Vários clubes exigem a presença de um nutricionista para desenvolver seus atletas. As principais delegações esportivas como futebol, vôlei, basquete e natação, o nutricionista está lá para fazer o planejamento dos cardápios. O objetivo é gerar um melhor rendimento esportivo dos atletas, adequando às necessidades individuais deles.

9. Indústria de alimentos

A atuação se dá na área de desenvolvimento de produtos, além de testes de degustação de pratos e novos itens, controle de produção e qualidade, treinamento de funcionários, desenvolvimento de material científico e prestação de consultoria a empresas do ramo.

10. Marketing em nutrição e alimentos

O profissional que deseja atuar com marketing e alimentos pode participar da elaboração de materiais técnico-científicos ou educativos sobre produtos. Deve fazer visitas técnicas aos profissionais da saúde, faz testes de receitas e de serviços para atendimento ao consumidor final.

11. Gastronomia

Muitos nutricionistas adotam a gastronomia como segunda graduação, tendo a facilidade de atuar nas duas áreas. O nutricionista poderá atuar no controle da qualidade de cozinhas, avaliar as condições de higiene em restaurantes, acompanhar a elaboração de cardápios e desenvolver novas receitas.

12. Docência e pesquisas

O profissional graduado em nutrição e que possui especializações, pode lecionar em atividades de ensino nos cursos técnicos de nutrição. Se optar por seguir carreira como professor, deve investir em mestrado e doutorado para lecionar em turmas de graduação, pós-graduação e nas atividades de extensão da área e de alimentação.

Onde estudar nutrição?

Para que o profissional de nutrição seja reconhecido na área, é necessário investir em uma boa instituição de ensino. Fique atento para escolher aquelas que são reconhecidas pelo MEC. Lembre-se que, na maioria delas, você pode ingressar pelo ProUni, FIES, obter bolsas de estudo, descontos, convênios e ser beneficiado com financiamentos. Conheça algumas instituições.

  • Centro Educacional Anhanguera (ANHANGUERA);
  • Universidade Estácio de Sá (UNESA);
  • Universidade Norte do Paraná (UNOPAR);
  • Universidade Cruzeiro do Sul (UNICSUL);
  • Faculdade Pitágoras (PITÁGORAS – MG);
  • Universidade Cidade de São Paulo (UNICID);
  • Universidade de Franca (UNIFRAN).

Como você pôde perceber, a carreira de nutrição é bem abrangente. Saber quanto ganha um nutricionista ajuda na hora de escolher qual a melhor área para você trabalhar. Já escolheu a sua área?