Empatia: o que é, importância no trabalho e como estimulá-la

Ter empatia é uma habilidade fundamental para o ser humano, e mais importante ainda no ambiente de trabalho. Mas você sabe o que significa ter empatia? Você sabe se tem esta habilidade? Para conhecer o significado, sua importância no trabalho e como desenvolvê-la, acompanhe a leitura deste artigo.

O que é empatia?

O significado de empatia (dicionário Michaelis) é a habilidade de imaginar-se no lugar de outra pessoa. O conceito de empatia na psicologia é a compreensão dos sentimentos, desejos, ideias e ações dos outros. Empatia é antônimo de apatia (insensibilidade e indiferença, desprezo em relação a todas as emoções).

Alguns exemplos de empatia são comuns quando estamos assistindo um filme, por exemplo. Fazer careta quando um personagem se machuca ou chorar quando algo de ruim acontece com alguém no enredo. Isto acontecesse porque o expectador está, de certa forma, vivenciando a dor do personagem.

Algumas pessoas podem confundir os significados de empatia e simpatia, mas elas são coisas diferentes. A segunda se refere a uma afinidade entre duas pessoas.

Empatia no trabalho

Agora que você já entendeu melhor o conceito de empatia, consegue identificar se você é uma pessoa empática no ambiente de trabalho? Uma empresa que preze pelo princípio da empatia tem o poder de criar um clima organizacional de maior compreensão e colaboração. Ser empático no trabalho implica em saber ouvir o outro, mesmo que as ideias sejam diferentes, e respeitá-las.

A empatia valoriza a diversidade e preserva a retenção de seus talentos. Já o contrário, a apatia, gera mais conflitos e menos resultados.

Um estudo feito pela Development Dimensions International (DDI) corrobora com o que estamos falando. A pesquisa reforça que a empatia é elemento crítico para o bom desempenho de uma equipe.

Empatia e liderança

Se é importante ter empatia enquanto colaborador, esta habilidade é ainda mais relevante para um bom líder. Porém, o estudo que mencionamos acima, da DDI, concluiu que apenas 40% dos líderes analisados possuem esta habilidade. Isto é um grande problema, já que a tendência de um líder sem empatia é de não compreender as demandas de seus colaboradores.

veja também:
Tem qualificações demais? Como responder sobre ser sobrequalificado na entrevista

Um líder sem empatia tende a ser egocêntrico, a acreditar que sua verdade é a única e que as coisas devem ser feitas de seu jeito. Isto mina a capacidade dos colaboradores, além de aumentar o risco de transtornos mentais, devido ao ambiente que se constrói por um líder apático.

Não é à toa que os transtornos mentais estão entre os principais motivos de afastamento do trabalho. Imagine um colaborador com uma situação séria de vida pessoal que precise se ausentar. Se este profissional não se sentir à vontade para falar com seu líder, a tendência é que tal problema vire algo maior, e a preocupação o faça adoecer.

Como desenvolver sua empatia?

Em um mundo onde a competição é constantemente estimulada, característica do mercado de trabalho e mundo organizacional, não é incomum que as pessoas percam a sensibilidade de olhar e se solidarizar com o outro.

Este meio estimula o egocentrismo, a necessidade de mostrar suas próprias habilidades. Mas não podemos esquecer que ninguém vive sozinho neste mundo, e todos precisamos uns dos outros, inclusive no meio de trabalho.

Uma forma de estimular esta habilidade é exercitar algumas características, como:

1. Paciência

Seja paciente com a dificuldade, o tempo e a opinião do outro. Lembre-se que cada pessoa tem sua história de vida, com suas bagagens, e a forma como o outro enxerga e lida com uma situação não é (nem deve ser) igual à sua. Por isso, respire fundo e exercite a paciência.

2. Escute

Uma grande dificuldade nas relações humanas, inclusive nas de trabalho, é que queremos falar, ser ouvidos, mas não fazemos o contrário: não paramos para ouvir o outro. Isto se torna um problema ainda maior no papel do líder. Por isso, escute o que o outro tenha a dizer, mas o faça de forma “desarmada”. A escuta vem combinada à paciência. Afinal, se você ouve sem oferecer a escuta de fato, mesmo sem dizer nada, sua expressão facial e linguagem corporal estará passando a mensagem negativa.

veja também:
Trabalhar em casa: descubra 45 ideias para mudar de vida

3. Seja humilde

Este é um exercício importante na tentativa de deixar o egocentrismo de lado e colocar-se no lugar do outro. Estudos comprovam o quanto esta característica é crucial para a funcionalidade de uma equipe. Lembre-se: sua verdade não é absoluta, e ninguém sabe de tudo. Todos têm algo a aprender com os outros. Ter esta consciência irá facilitar o exercício da humildade.

4. Não julgue

Esta dica está relacionada às anteriores. Como dissemos, a realidade de cada um é diferente. É cientificamente comprovado que até a tolerância à dor física é diferente entre uma pessoa e outra. Por isso, ao ouvir o outro, abstenha-se de fazer julgamentos.

Exercite sua empatia

Ao trabalhar sua paciência, escuta e humildade, sem julgamentos, você estará automaticamente exercitando sua empatia. Atente-se sempre à sua linguagem corporal: evite pés balançando, braços cruzados, olhe no olho, se preciso, dê um tapinha nas costas. Você verá como suas relações no ambiente de trabalho irão melhorar. Ser uma pessoa empática irá auxiliá-lo a ter um melhor desempenho não só no trabalho, mas na vida com um todo.

Espero que este conteúdo tenha sido útil para você. Caso ele tenha lhe ajudado, compartilhe-o em suas redes sociais!